12/10/2017 às 05h24min - Atualizada em 12/10/2017 às 05h24min

Narrativa não linear para o amor

Coletivo Pariente do Mar volta a se apresentar em Uberlândia nesta noite com 'Nem Palavras Nem Coisas (Um Rio)'

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA

Joaquín Tato, da Argentina, e Priscilla Bello, de Uberlândia, se apresentam no Boca de Cena com entrada franca / Foto: Agustina Tato/Lina Etchesuri/Divulgação

 

As atrações desta semana do projeto Boca de Cena terminam hoje com uma criação coletiva entre Brasil, Argentina e Colômbia. Trata-se do espetáculo teatral “Nem palavras nem coisas (um rio)”, protagonizado pelos atores Joaquín Tato, argentino, e pela uberlandense Priscilla Bello, do coletivo Parientes do Mar. A peça já foi apresentada em Uberlândia no início do ano, depois de estrear na Argentina, e em setembro passou pela Espanha. Logo depois das apresentações em Uberlândia os atores embarcam novamente para um giro pela Argentina, desta vez amparados pelo projeto Circula Minas 2017 (Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais).

O espetáculo conta a história de um casal que navega um rio mecânico de automatismos, padrões e reincidências. Fragmentos de amor que padecem naufrágios permanentes e nadar é imprescindível para evitar o afogamento desses corpos que se tornaram objetos por onde circula aquilo que flui. Segundo Tato, a recepção ao espetáculo tanto no Brasil quanto no exterior tem sido muito bonita.

“Em Uberlândia notamos o envolvimento do público teatral, da Universidade Federal de Uberlândia, onde a Priscilla se formou. É muito bom ter um feedback desse pessoal, alunos e professores, mas em contrapartida o que mais tem nos surpreendido é a percepção das pessoas sem vínculo com a universidade”, comenta o ator.

Para ele, a peça é produzida mais no sentido de percepção do que de razão. “Ás vezes a cabeça, o conteúdo atrapalham um pouco, por isso pessoas sem formação na área teatral têm nos dado uma devolução mais profunda do espetáculo que é feito para você se conectar com ele por diferentes canais sensoriais”, explica Tato.

Por uma decisão do coletivo, a narrativa é não linear, por isso a tendência é que alguns espectadores fiquem mesmo um pouco desorientados. “Essa peça trabalha muito com a ruptura. Apresentamos uma coisa e logo em seguida a quebramos e as pessoas não estão muito acostumadas com isso muito por influência da televisão ou do cinema, mas é uma experiência que vale a pena”, disse o ator que é casado com Priscilla e são pais de Chico, hoje com seis meses.

 

SERVIÇO

O QUE: Boca de cena 2017 – Espetáculo teatral “Nem palavras nem coisas (um rio)”

QUEM: Parientes do Mar

QUANDO: Hoje, às 20h

ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia

CLASSIFICAÇÃO: Livre

ENTRADA FRANCA: ingressos disponíveis para retirada na bilheteria do teatro a partir das 12h

INFORMAÇÕES: 3235-1568

Notícias Relacionadas »
Comentários »